Durarei por Paz e Nunca por Mal – Residência de Mélanie Ferreira

  • Dança
  • Performance
  • transdisciplinar

Date

Jul 07 - 13 2024

Time

All Day
  • 00

    days

  • 00

    hours

  • 00

    minutes

  • 00

    seconds

Em janeiro de 2023 foi a estreia do primeiro solo do projeto Dependência Aberta. Este projeto resulta de um convite feito por Mélanie Ferreira a um criador para lhe encenar um solo.

O projeto Dependência Aberta consiste em escolher criadores com os quais Mélanie Ferreira tem vontade de passar tempo de pesquisa e criação, num formato de maior proximidade. Estes convites de colaboração aparecem porque Mélanie Ferreira acredita que o ato criativo tem de ser verdadeiro, inteligente, intenso e promissor e não sendo capaz de o assumir sozinha, decide fazer o seu corpo sobreviver pela cabeça de outrem. Há assim o assumir de uma dependência e uma necessidade de um coaching para que a existência deste corpo performativo possa ter ainda mais significado e atinga um estado mais puro; sem que para isto, a dependência tenha de ser fechada no outro. É antes uma dependência aberta, onde ambos os corpos se neutralizam, confluem e renovam na esperança de atingirem o sublime. O projeto Dependência Aberta traz a possibilidade de criar um estar íntimo de trabalho e pesquisa, o que no percurso de Mélanie Ferreira não costuma acontecer, porque trabalha sempre em contexto de equipas com vários intérpretes. Será ter um foco primário em si para continuar a renovar-se enquanto intérprete, performer, criadora, investigadora do seu próprio corpo como potência.

Desta feita, estar num processo de criação de um solo é assumir que “continuo a perder-me no meu corpo, para que o reconfigurar seja necessário e preciso, para que o voltar seja a novidade e o constante presente.”. É na sequência deste projeto Dependência Aberta que surge Durarei por Paz e Nunca por Mal, numa continuidade de espaço de criação intimista, desta vez com um novo criador, Daniel Matos, com quem a artista já colaborou em várias peças e com quem partilha um percurso de vontades artísticas similares.

Direção Artística, Criação e Interpretação Mélanie Ferreira Criação e Coaching Daniel Matos Banda Sonora Original Joana Guerra Desenho de Luz e Direção Técnica Ana Carocinho Cenografia Pedro Azevedo Figurinos Çal Pfungzst Fotografia de Cena Bruno Simão Vídeo a definir Gestão de Projeto Joana Flor Duarte Co-Produção Teatro Municipal do Porto / Festival DDD, Teatro Viriato / Festival NANT, Theatro Circo de Braga Casa de Produção CAMA a.c. Apoio à residência Teatro Viriato, Cem – Centro em Movimento, TRUST Collective, Estúdios Victor Córdon Residência de Co-produção O Espaço do Tempo

BIO:

Mélanie Ferreira nasceu na Suíça em 1996. Iniciou os seus estudos em dança em Viseu na Escola de Dança do Lugar Presente, onde frequentou o curso vocacional. Entre 2014 e 2019 fez a licenciatura e mestrado na Escola Superior de Dança. O seu percurso é marcado pelo contacto com diferentes linguagens, coreógrafos e bailarinos, através de vários workshops, masterclass e intensivos, nomeadamente: AAB
(Ballet summer intensive, EUA), Jan Fabre, São Castro e António Cabrita, Tânia Carvalho, Kurt Koegel, Lander Patrick, Juri Konjar, Allan Falieri, Margarida Belo Costa, Roni Chadash, Paulo Ribeiro, Marco da Silva Ferreira, João Cardoso, Tobiah Booth-Remmers, Lewis Seivwright, Mathilde Moonier, Flora Detraz, Corinne and Nicholas Petit Rochet, Beatriz Valentim, Connor Scott, Cecilia Bengolea, Nádia Beugré, André de Campos, Hugo Marmelada, Horácio Macuacua, Erez Zohar, Mónica Calle, Peeping Tom, Tiago Martins.
Integrou vários projetos com diferentes coreógrafos nomeadamente, Madalena Victorino, Francisco Pedro, Diana Niepce, Ana Borralho e João Galante, André Uerba, Lucia Nacht, Sérgio Penna, Daniel Matos, São Castro, Clara Andermatt e João Lucas, Tiago Vieira, Marco da Silva Ferreira, Jorge Jácome, Maurícia Neves, Joana de Verona. Em 2021 estreia a sua primeira peça, sendo a criadora e intérprete da performance/fotografia Deitamos flores pelo lado de dentro em colaboração com André Alves, após este espetáculo dá inicio ao seu projeto Dependência Aberta (DA) que é um ciclo de solos interpretados por si, mas criados por artistas à sua escolha. Em 2023 foi nomeada pela SPA para melhor bailarina com a peça Carcaça de Marco da Silva Ferreira. Em 2024 colabora como intérprete nas peças: Carcaça de Marco da Silva Ferreira, Coreografia para uma santificação (DA) de Tiago Vieira, GALINASSAGE de Diana de Sousa e Atsumori de Catarina Miranda.

Organizer

Mélanie Ferreira